Pocos-Net 2017 1
   
   
  Última atualização   11 de dezembro de 2017 | 00:26:34
Contato

Diretor da empresa EXP Parking participa de sessão da Câmara


Incluída em: 07/12/2017 | 06:33


Atendendo a um requerimento dos vereadores Paulo Eustáquio de Souza (PMDB) e Joaquim Alves (PMDB), o diretor de Relações Institucionais da empresa EXP Parking, Sérgio Iran Soares, participou da sessão da Câmara, na última terça-feira (05). Ele foi convidado para esclarecer dúvidas sobre diversos assuntos relacionados ao estacionamento rotativo pago, entre eles as multas aplicadas, tolerância de dez minutos para estacionamento de veículos e treinamento de funcionários.

A EXP Parking é a concessionária do serviço de estacionamento rotativo pago denominado zona azul. De acordo com os vereadores autores do requerimento, o convite foi feito com o objetivo de levar à comunidade informações sobre os serviços prestados pela empresa em Poços de Caldas. No início da sua explanação, o diretor agradeceu a oportunidade dada à EXP, uma vez que a empresa atua na cidade há mais de um ano e a visita à Câmara foi a primeira oportunidade obtida para esclarecer dúvidas e ajudar nos assuntos levantados pela população.

Os dez minutos de tolerância para estacionamento nas vagas da zona azul foi um dos assuntos abordados pelo vereador Paulo Eustáquio. Segundo o diretor da empresa, o tempo é estabelecido pela legislação municipal. “O Decreto 12.083, no seu artigo 16-A, prevê que a não ativação do crédito na utilização de vaga de estacionamento rotativo pago após aguardados os 10 minutos, para sua operacionalização, constitui infração prevista no artigo 181, inciso 17, da Lei 9.503/97, do Código de Trânsito Brasileiro, ficando o infrator passível de autuação e medida administrativa pertinente”, explicou.

Sérgio Soares ressaltou que, após o 11º minuto, o próprio sistema alerta o monitor sobre a não regularização. “O primeiro processo é, através do aplicativo que carrega no celular, marcar o número da vaga e a placa do carro. Isso chama matriz de vagas, o monitor tem acesso a essas matrizes e marca eletronicamente aquela vaga. Decorridos os 11 minutos sem regularização, o próprio sistema já dá um alarme para o monitor dizendo que a vaga que ele marcou há dez minutos ainda não regularizou. Só aí, então, é emitido o aviso de irregularidade. Esse aviso é a segunda oportunidade do cidadão, dentro de trinta minutos, regularizar. Então, ele paga o aviso de regularidade, o sistema já vai bloquear dizendo que aquele carro passou a estar regular, e o agente não vai conseguir autuar, pois foi sanada a irregularidade. Se não houve esse mecanismo, no 11º minuto, em vez de pagar, ele poderia ser notificado, como prevê o Código de Trânsito, e ser multado em R$ 197 reais. Na verdade é um segundo momento que ele tem para regularizar”, comentou.

O treinamento oferecido aos monitores foi também um tema discutido pelo vereador Paulo Eustáquio. Segundo o parlamentar, existem reclamações com relação a possíveis conflitos entre condutores e os colaboradores. Sobre esse assunto, o diretor de Relações Institucionais afirmou que a empresa tem enfrentado algumas dificuldades quanto à mão de obra capacitada. Ele destacou que, do total de 60 funcionários em Poços, 51 são monitores. Desses 51, 31 já foram demitidos esse ano e 31 novos profissionais foram contratados. Sérgio Soares explicou que, no momento da contratação, um especialista em Recursos Humanos vem à cidade para o recrutamento, seleção e treinamento. Após esse período, o funcionário vai a campo acompanhado por um monitor experiente, um supervisor ou o próprio coordenador da filial. Ainda segundo o diretor, após qualquer reclamação, os monitores são chamados para orientações e acompanhamento e que, algumas vezes, a situação é revertida. Ele citou que a crise da mão de obra no país é grave no ponto de vista da educação, na capacidade de resiliência e no tratamento cordial.

O vereador Joaquim Alves, também autor do requerimento, falou das reclamações da população quanto à ausência dos colaboradores em algumas ruas, em especial aquelas mais afastadas do centro, como a rua Capitão Afonso Junqueira. Ele questionou a divisão dos profissionais na área de zona azul e pediu uma atenção especial com relação a esse assunto.
De acordo com o representante da empresa EXP Parking, os monitores cumprem uma rota, geralmente em forma de L, e que, através de um aplicativo, são identificados, sendo possível ter acesso a informações sobre onde o profissional está, quanto ele arrecadou a cada minuto, quantos avisos de irregularidade emitiu e se saiu da rota ou não.

Outros assuntos foram abordados durante a presença do diretor. Vários vereadores se manifestaram e esclareceram dúvidas, entre outros temas, sobre a possibilidade de utilização de cédulas nos parquímetros, a possibilidade de cobertura desses equipamentos, o tempo de duração do contrato com a empresa e as reclamações sobre os períodos em que os equipamentos não funcionam.

Para o vereador Paulo Eustáquio, com a presença do diretor foi possível obter informações importantes sobre o serviço de estacionamento rotativo pago. Ele ressaltou que esse contato entre a empresa e o Legislativo é necessário, já que os vereadores recebem, diariamente, muitas reivindicações com relação à atividade. O vídeo da sessão, com todas as considerações feitas, está disponível para consulta no Portal da Câmara.

ACS/Câmara Municipal
 

Pocos-Net 2017 3 Pocos-Net 2017 4 Pocos-Net 2017 5



ENQUETE

Sites Poços - Net | Anuncie | Central de Denúncias | Trabalhe na Rede Sulmineira de Provedores Ltda. | Política de Privacidade
© Copyright 1996-2013, Grupo Poços-Net - Todos os direitos reservados